Carreira

Qual a importância do sono para o aprendizado?

Muitos alunos, na hora de estudar, concentram-se em passar mais horas na escrivaninha, assistindo videoaulas, fazendo exercícios, lendo as apostilas ou revisando questões do simulado. Nesse processo, no entanto, muitos se esquecem da importância do sono para o aprendizado e acabam dormindo menos do que o recomendado.

O sono, além de ajudar o corpo a descansar, aliviar o estresse e a recuperar a energia, é essencial para a memória e o raciocínio. Mesmo que uma pessoa conheça as melhores técnicas de estudo e concentração, se ela dormir mal durante vários dias seguidos, seu estudo ficará seriamente prejudicado.

Pensando nisso, mostraremos no post a seguir a importância do sono para o aprendizado, para que os estudantes possam turbinar sua produtividade e foco. Fique ligado!

O sono filtra e consolida as memórias do dia que passou

Ao contrário do que pensam muitas pessoas, não é só quando estamos em uma aula, resolvendo uma questão de um livro ou lendo uma apostila que estamos aprendendo um conteúdo e fortalecendo a nossa memória.

O sono tem um papel fundamental em filtrar e consolidar as nossas lembranças do dia que passou. É nesse processo, por exemplo, que a mente escolhe o que é útil e o que é inútil para ela manter a longo prazo.

Essa dinâmica se dá ao longo de todas as fases do sono por meio da transferência de informações no hipocampo — que fica localizado na parte inferior central do cérebro e para o córtex — região evolutivamente mais nova e localizada nas partes mais exteriores.

Se dormimos mal ou por pouco tempo, não conseguimos ter todas as fases da vigília e, como consequência, reteremos menos informações dos nossos estudos. Isso, a longo prazo, diminui muito a motivação para estudar.

O sono aumenta a concentração e o raciocínio

Além de ser fundamental para a consolidação da memória e das informações aprendidas, o sono é peça chave para mantermos nossa concentração e raciocínio afiados.

Quando as pessoas dormem por menos tempo ou têm um sono ruim, elas apresentam resultados inferiores em testes de QI e de reflexo do que teriam se tivessem dormido por mais tempo e melhor.

Não é de admirar que grandes gênios da ciência, com capacidades impressionantes de concentração e raciocínio, valorizassem tanto suas horas na cama. Albert Einstein, por exemplo, dormia por cerca dez horas todos os dias!

Esse efeito também vale para sonecas ao longo dia. Além de promover um descanso e uma recomposição de energia, elas também ajudam a aumentar o foco e consolidam a memória do que você acabou de estudar.

Então, é mais inteligente o aluno tirar um cochilo antes de uma prova do que fazer uma revisão às pressas e mal feita.

O sono aumenta a criatividade

Não é só no raciocínio lógico e na concentração que o sono tem um efeito positivo. Boas horas na cama também ajudam muito na criatividade e no pensamento divergente.

Isso acontece porque quando dormimos, ocorre uma reordenação dos sinais elétricos entre os neurônios, com a comunicação intensa entre si de partes separadas e distantes do cérebro, fortalecendo-se certos caminhos neuronais e estimulando a conexão de novas sinapses.

Muitos artistas souberam aproveitar essa característica do sono muito bem. Salvador Dali, por exemplo, tirava vários cochilos ao longo do dia, mantendo uma caderneta do lado da cama para anotar as ideias novas que surgiam logo quando ele despertava.

Consolidação da memória, aumento da concentração, raciocínio e criatividade: dormir bem é, sem dúvidas, uma das coisas que o estudante pode fazer no dia a dia para viver melhor!

Se você curtiu saber a importância do sono para os estudos, continue a visita em nosso blog e leia agora mesmo o texto Como se organizar para estudar com qualidade para continuar aprimorando seu aprendizado!

Sobre o autor

Fernando Novais da Silva

Professor e Consultor, interessado em educação, arte, criatividade e empreendedorismo

Deixar comentário.

Share This