Carreira

Afinal, como é o dia a dia do profissional de nutrição?

Nunca se falou tanto em alimentação saudável quanto nos últimos tempos, nem se detectou tantas pessoas com intolerâncias ou restrições alimentares como nos dias de hoje.

Dentro dessa realidade, as chances de um profissional de nutrição obter uma boa colocação no mercado são significativas, e elas ficam ainda maiores caso o profissional seja versátil e se mantenha atualizado.

Neste post, vamos descrever o dia a dia dessa profissão para ajudar você a decidir se a nutrição é mesmo o seu caminho. Vamos lá?

Curso e formação

O nutricionista é a pessoa reconhecidamente apta a promover, restabelecer ou manter, de diversas maneiras, a saúde das pessoas. Ele faz isso por meio do planejamento e do consumo consciente de alimentos.

Em algumas situações mais específicas, o profissional pode até contribuir para a potencialização das performances do indivíduo — é o que acontece, por exemplo, na nutrição esportiva.

O nutricionista pode atuar em diversas áreas porque sua formação é bastante abrangente. O curso tem matérias de três áreas da ciência! Veja mais detalhes sobre isso a seguir.

Disciplinas

O curso de nutrição tem tanto disciplinas das ciências biológicas — como a morfologia, a fisiologia, a bioquímica e a biofísica — quanto das ciências médicas — representadas pelas matérias nutrição, dietética e saúde coletiva. Há, também, uma contribuição das ciências humanas, que trazem a psicologia geral para a grade curricular.

Algumas outras disciplinas que merecem destaque são a farmacologia, a bioestatística, a parasitologia, a epidemiologia, a tecnologia e higiene dos alimentos e a alimentação materno-infantil.

Tempo de duração

Um bom curso de nutrição reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) tem duração mínima de 4 anos para a formação de bacharel.

Mas é importante adicionar alguns anos de estudo a essa conta. Para conquistar o sucesso profissional, uma pós-graduação ou um curso de especialização são diferenciais importantes em mercados concorridos como esse.

Áreas de atuação

A preocupação com a dieta e com a saúde está cada vez mais presente, após décadas de predomínio dos enlatados e dos fast-foods.

Esse contexto é perfeito para o profissional de nutrição se inserir no mercado de trabalho. As possibilidades são muitas. Confira abaixo algumas delas!

Nutrição coletiva

É a aplicação do conhecimento em setores responsáveis pela alimentação de uma quantidade grande de pessoas. É o caso dos restaurantes, lanchonetes e cozinhas industriais.

O profissional que trabalha nesta área é responsável por funções como:

  • compra de insumos;
  • planejamento de cardápio;
  • controle e estocagem de alimentos;
  • supervisão de produção;
  • gerenciamento de  instalações e pessoas; e
  • coleta de amostras para verificação de contaminação.

Nutrição individual

É uma das aplicações mais conhecidas da profissão. Normalmente, é feita por profissional que busca empreender em seu próprio negócio, atuando em um consultório.

Na nutrição individual, o nutricionista analisa o perfil do paciente, avalia possíveis quadros de doenças e conhece seu histórico familiar. Ele também pode solicitar exames para complementar esses dados.

Fora essa análise objetiva, o profissional também identifica as expectativas do cliente sobre a dieta e avalia os hábitos de vida dele, procurando sempre ajustar o novo cardápio à sua realidade.

Empresas privadas

A função é a mesma de quando falamos da nutrição coletiva. Entretanto, destacamos a nutrição aplicada a empresas privadas pois esse segmento vem crescendo consideravelmente!

Esse formato se aplica às empresas que adotam posturas de promoção da saúde, do bem-estar e da qualidade de vida para seus funcionários. Geralmente, elas têm restaurantes internos para fornecer as refeições para os trabalhadores, e é aí que o nutricionista pode trabalhar.

Pesquisa

O profissional de nutrição pode atuar em um laboratório, dedicando-se a estudar mais a fundo os efeitos dos alimentos no organismo humano e também a descobrir novas fontes alimentares.

Marketing nutricional

Se o marketing se dedica à divulgação de produtos e serviços com o objetivo de vendê-los, o marketing nutricional é o ramo desta atividade focado em fazer isso ressaltando suas características nutricionais.

É o caso, por exemplo, do desenvolvimento de propaganda sobre ausência de lactose ou glúten de um produto, ou do baixo teor de açúcar ou gordura de outro.

Indústria alimentícia

A atuação nesta área abrange funções como controle de produção, fiscalização de qualidade e limpeza, treinamento de funcionários e prestação de consultorias.

Outros possíveis campos tradicionais de atuação são as áreas de saúde coletiva (vigilância sanitária, gestão de programas governamentais e conselhos de saúde), de nutrição estética, clínica (hospitalar e ambulatorial) e esportiva.

Mas os nutricionistas podem — e devem! — pensar em outras formas de trabalhar existentes no mundo atual, como, por exemplo, desenvolvimento de conteúdo para web e para aplicativos.

Salários

O valor do salário de um nutricionista pode variar de acordo com o segmento em que atua, com a região onde trabalha e com o tempo de profissão que ele possui. O valor médio pago ao recém-formado é de R$ 1.500, evoluindo para salários que variam de R$ 2.000 a R$ 2.800 no Brasil.

A lei nº 7.267, de 26 de abril de 2016, que estabelece os pisos salariais no estado do Rio de Janeiro, institui o valor R$ 2.684,99 para o profissional contratado da área de nutrição.

Já em São Paulo, o Sindicato dos Nutricionistas estabelece o piso salarial de acordo com a área de atuação do profissional — R$ 2.609 no comércio e R$ 2.737,50 em hospitais.

Perfil profissional

Um nutricionista de destaque deve possuir ou desenvolver algumas características da sua personalidade. Preste atenção e veja se você é assim!

– Empreendedorismo

Característica básica para desenvolvimento de negócio próprio em qualquer área de atuação profissional. Empreender consiste em querer e saber gerir ideias!

– Curiosidade

O nutricionista precisa se manter atualizado todo o tempo. Novos alimentos e formas de se alimentar surgem, bem como outras propriedades são descobertas nos já conhecidos, o que leva a alterações nas recomendações. A constante mudança de conceitos exige deste profissional muita pesquisa e estudo.

– Criatividade

Construir um cardápio apropriado para o público-alvo ou uma dieta perfeita para o cliente não é tarefa difícil para um nutricionista. Mesmo assim, é um desafio pensar em tudo isso e ainda levar em consideração o que a pessoa gosta. O nutricionista tem que ser criativo para juntar essas duas coisas!

– Empatia

Mais do que ouvir com atenção a necessidade do cliente, a empatia exigida do nutricionista está em analisar o que o paciente conta e perceber quais são seus hábitos. A partir disso, o profissional precisa montar o cardápio de forma a alterar o menos possível a rotina.

Colocar-se no lugar do outro vai ser fundamental para que você entenda a melhor forma de explicar os motivos de sua nova dieta.

Você já sabe em que áreas o profissional de nutrição pode trabalhar e que traços de personalidade ele deve ter. Agora é a hora de procurar a instituição de ensino na qual você pretende se matricular, avaliando a qualidade, o valor e a acessibilidade que ela oferece.

Se quiser conhecer melhor o curso e tirar as dúvidas que ainda ficaram, entre em contato com a Faculdade São Fidélis!

Sobre o autor

Fernando Novais da Silva

Professor e Consultor, interessado em educação, arte, criatividade e empreendedorismo

2 comentários

Deixar comentário.

Share This